É um processo ativo que visa capacitar pessoas com déficits cognitivos (ou seja, problemas de memória, aprendizagem, atenção, linguagem, funções visuoespaciais, motoras, capacidade de organização, planejamento e tomada de decisões) causados por lesão ou doença, para que estas adquiram um bom nível de funcionamento social, físico e psíquico.

Logo, a reabilitação implica maximizar as funções cognitivas por meio do bem-estar psicológico, da habilidade funcional para o desempenho de atividades cotidianas, de trabalho, lazer e acadêmicas e do relacionamento social. Indicações:

•Demência e queixas cognitivas devido ao envelhecimento;
•Transtornos psiquiátricos (esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar);
•Transtornos do desenvolvimento (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e outros);
•Lesões cerebrais adquiridas (derrame, traumatismo craniano)