Dicas para candidatos do ENEM alcançarem melhor desempenho na maratona de provas.

Fazer pausas durante tempo de estudos, dormir bem, estabelecer metas e não abrir mão do lazer de forma equilibrada podem ajudar candidatos na realização de provas.

Nos dias 08 e 09 de novembro, mais de 7 milhões de  estudantes brasileiros vão fazer o ENEM, Exame Nacional de Ensino Médio, conforme dados divulgados pelo INEP, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.  Esse é um momento decisivo para muitos jovens que se prepararam ao longo do ano, enfrentando horas diárias de estudo nos cursos preparatórios e abriram mão, até mesmo, do lazer nos finais de semana. Mas o que fazer para ter bons estudos, se preparar de forma correta e alcançar um excelente desempenho em provas, que além de testar o conhecimento dos candidatos, são longas, exigem disposição física e possuem questões de difícil resolução?

De acordo com Fabricia Loschiavo, terapeuta ocupacional da Nexus Clínica, ter pausas durante o tempo destinado ao estudo é fundamental para quem deseja se sair bem nas avaliações. “Muitos jovens preferem estudar durante horas incessantes, por acreditarem que assim vão assimilar o conteúdo. Isso é um equívoco, pois o excesso pode provocar queda no rendimento do vestibulando. Recomendo que a cada uma hora estudada, o aluno separe vinte minutos para descansar”, explica.

O sono também é importante para um bom desempenho escolar ou em provas e avaliações. “O estudante deve ter um sono restaurador. Mesmo que ele durma seis horas, ao acordar deve se sentir descansado e apto para mais uma jornada de estudos. Muitas pessoas têm o costume de trocar o período do sono por horas infindáveis de estudo e isso não é indicado. Vários alunos deixam de dormir para cumprir prazos escolares, principalmente na véspera de avaliações. Essa prática compromete o rendimento”.

Fabricia afirma que o estudante, ao se preparar para grandes provas, deve usar estratégias para associar a informação nova com aquela já previamente aprendida, pois a capacidade de memorização do ser humano é dependente da atenção. “O estudante não memoriza a partir do momento que não presta atenção”, ressalta a terapeuta.

O avanço da era digital tem contribuído bastante para a dispersão dos jovens, que não se concentrar em uma única atividade. Muitos estudam, conectados às redes sociais, jogando games pelo computador, assistindo TV ou escutando música no celular. Isso também pode comprometer o aprendizado e o discernimento da informação recebida, segundo Loschiavo.

Estabelecer metas é outra dica relevante para quem deseja aprovação em exames como o ENEM. “Não adianta o aluno separar um dia para estudar história se ele não sabe, por exemplo, que parte da história vai estudar, o porquê de estar estudando aquele conteúdo. É preciso se organizar e ter um planejamento temporal. Também é de extrema importância que o estudante se dedique mais às matérias que ele não domina, aplicando sobre elas as mesmas técnicas de associação que utiliza nos conteúdos, cuja facilidade de apreensão é maior”, diz. A terapeuta esclarece que estudar uma única vez para um teste que será feito daqui a 3 meses não resolve a situação. “É importante que o cérebro tenha a reapresentação constante da matéria estudada e isso implica, por exemplo, na leitura cotidiana de resumos e anotações”.

Para aqueles que se privam totalmente do lazer em detrimento dos estudos, FabrIcia é taxativa ao afirmar que essa postura é prejudicial. “A ausência total de lazer deixa a pessoa muitas vezes ansiosa e até mesmo estressada, e isso prejudica o desempenho acadêmico. Assim como fazer um planejamento das disciplinas que serão estudadas, é importante que o candidato a uma prova planeje também as horas de divertimento, com atividades prazerosas, que tragam algum tipo de prazer e satisfação, adequando-as, é claro, ao calendário de estudos, sem deixar de cumprir as metas pré-estabelecidas”, finaliza.