Apresentar as datas comemorativas para os pacientes que estão em desenvolvimento da linguagem é uma estratégia bastante eficiente no contexto terapêutico, uma vez que o terapeuta pode abordar o tema para ampliar o repertório das crianças e intervir em diversos aspectos, basta ter em mente os objetivos traçados com cada caso e utilizar a criatividade!
Por exemplo, para pacientes com Transtorno Invasivo de Desenvolvimento, que é o caso das crianças com espectro autista, a perspectiva da apresentação do tema de Natal, os motiva à entender o que está acontecendo no “mundo” agora, qual o tema foco atual de interesse dos seus pares na sociedade e por fim, facilitar a interação com os mesmos. Esta estratégia nos auxilia na promoção da PRAGMÁTICA, que é o “uso da linguagem”, refere às “intenções comunicativas” do indivíduo, que se tornam mais fáceis quando o mesmo possui melhor localização espacial e temporal.
A intervenção fonoaudiológica na perspectiva da pragmática, deve considerar elementos linguísticos e não linguísticos para a comunicação, assim como a iniciativa para comunicar, o contexto e a participação de diferentes interlocutores.
Quando o profissional oferece um “tema” à terapia, ele facilita o desenvolvimento da competência comunicativa com ênfase no uso funcional da linguagem e na interação social. Além do mais, amplia a relação entre terapeuta-paciente, o que é fundamental para o estabelecimento de contato visual, atenção conjunta, imitação, jogo compartilhado e por fim, o sucesso terapêutico.
Com esta abordagem de valorizar as datas comemorativas na terapia de linguagem, espera-se ganhos certeiros no desenvolvimento das atividades simbólicas, compreensão e expressão da linguagem em todos os níveis, principalmente na linguagem oral!
BOAS FESTAS! Melhor dizendo: BOA INTERAÇÃO!